quarta-feira, 27 de abril de 2011

América perde por 1 a 0 para o Santos no Brasil



O América enfrentou o Santos, na Vila Belmiro, no jogo de ida pelas oitavas de final da Taça Libertadores da América.

O América entrou em campo sem alguns de seus seus melhores jogadores de frente. Montenegro, Sanchez e Reyna estavam no banco. Os mexicanos são filiados à Concacaf (Confederação de Futebol das Américas do Norte, Central e Caribe) e disputam a Taça Libertadores, competição sul-americana, como convidados. Com isso, não podem disputar o Mundial Interclubes se forem campeões. Por isso, preferem priorizar o seu campeonto local.

Com seus principais atletas no banco, o técnico Carlos Reinoso optou por um time mais fechado, com duas linhas de quatro fixas. À frente, somente os grandalhões Vuoso e Márquez. A intenção era clara: bloquear as saídas do time santista. Com a bola no pé, a ordem era jogar pelo alto para os dois postes fixos à frente. Tática que funcionou muito bem durante a partida. O Santos não achava brechas para penetrar o muro amarelo. Batia e voltava. Neymar arriscava dribles de efeito, elásticos, pedaladas, e nada dos mexicanos caírem nos seus truques.


Mas o Santos conseguiu abrir o placar aos 38, Léo, espertamente, cobrou um lateral rápido e pegou a zaga do América desprevenida. Livre, Neymar recebeu e partiu como um ponta esquerda. Chegando ao fundo, ele já estava cercado, mas acertou o passe para o camisa 10, que vinha atrás. O craque ajeitou e mandou o tiro de esquerda. Nem muito forte, nem muito fraco. Na medida certa para tirar a bola do alcance de Ochoa e fazê-la entrar no canto esquerdo do goleiro. Pelé, em seu camarote, vibrou com o gol de mais recente herdeiro da camisa 10 santista.

No segundo tempo, Carlos Reinoso resolveu colocar seus melhores jogadores em campo. Reyna e Sánchez entraram nos lugares de Vuoso e Olivera, respectivamente. Com isso, o América ganhou qualidade em sua linha ofensiva. Passou a prender mais a bola na frente e a pressionar o Santos, que se retraiu.

Os jogadores que deveriam tirar o Peixe do sufoco não conseguiam criar muita coisa. Neymar, bem marcado, tinha dificuldades para passar pelos marcadores. A zaga se comportava bem e tirava a bola de trás. O problema é que os meias Elano e Ganso não conseguiam acertar passes e a bola sempre ficava com o América. A torcida santista já se impacientava. Para terminar o lateral Layun, por exemplo, abusou e acabou levando dois amarelos e, consequentemente, o vermelho.

Referencia: Globo


0 comentários:

Postar um comentário

banner

 
Design by @VitorBrunoMA